terça-feira, 10 de janeiro de 2017

O farm-to-table do Restaurante Beponi em Bituruna no Paraná.

(Produtos da horta do Restaurante Beponi - Foto: Schirlei Freder)

Termo estrangeiro que dá nome ao movimento que contempla as etapas de produção dos alimentos: do plantio passando pela colheita, armazenamento, processamento, embalagem, vendas e consumo seja através do comércio de alimentos e produtos, seja no serviço de um restaurante, o farm-to-table em português “da fazenda à mesa” é também um movimento que se preocupa com a produção, a distribuição e o consumo local dos alimentos promovido por agricultores e restaurantes de maneira responsável respeitando a sazonalidade, safras, proximidade e outros itens importantes que garantem um alimento ou produto final fresco, saudável e de qualidade ao consumidor, respeitando sempre o solo, o entorno e o meio ambiente.

O movimento que tem adeptos no mundo todo, entre eles chefs de cozinha celebridades, pesquisadores, jornalistas e críticos gastronômicos não é novidade para a família do Sr. Beponi de Bituruna no interior do Paraná, que há anos já trabalha com alimentos locais muitos deles cultivados em sua propriedade, da horta para a mesa literalmente.

(Detalhes da horta do Restaurante Beponi - Fotos: Rogério Oliveira)

Do tomilho do recheio do capeletti à abobora do tortei, passando pelos pepinos para conserva até chegar à frescura do radiche servido com vinagre de vinho e pedacinhos de bacon, tem também alface, alho-poró, tomate, cebola e muitos outros ingredientes de acordo com a safra, além de uma infinidade de ervas aromáticas, tudo produzido pelas mãos da família com muito trabalho e alegria. Além de peixes, frutas e as maravilhosas massas elaboradas de forma artesanal, tradição da família desde os tempos das nonas e nonos italianos que se radicaram naquelas terras.

(Detalhes de refeições com família do Sr. Beponi em minha primeira visita à Bituruna em 2014
- Fotos: Schirlei Freder)

Por que estou falando disso? Bem, é que em nossa última visita à Bituruna no início deste ano presenciamos uma cena para lá de inusitada. Estávamos jantando eu e meu marido na parte de fora do grande salão do Restaurante Beponi, já passava das 22h daquele sexta-feira quando avistamos o Sr. Beponi correndo de galochas, com uma energia adolescente e um sorriso no rosto, carregando uma bacia e uma lanterna ele seguia direção à horta da família para colher salada (como eles dizem) ou o radiche para atender às pessoas que chegavam àquela hora para jantar. Fiquei tocada com o gesto e não poderia deixar de registrar aqui que uma atitude assim merece muito respeito por parte dos clientes e visitantes do local, porque de fato não deve haver muitos lugares onde isso ocorra. Desde a primeira vez que estive na propriedade da família em 2014, percebi que a postura da família frente ao atendimento de seus clientes é de extremo respeito e sobretudo gentileza, exemplo disso é que em uma noite chuvosa onde se esperava um número menor de pessoas, já com o salão tomado, o estacionamento lotado de carros, ainda chegavam pessoas e a família continuava seu “lavoro” como se a noite estivesse apenas começando.

É por essas e outras que posso afirmar que provar a comida servida no Restaurante Beponi, direto da horta para nossa mesa, e as massas produzidas por eles é uma experiência única que deve ser repetida várias vezes na vida porque enquanto a comida sacia nossa fome, a alegria da família e a beleza do lugar encantam nossa alma.

Grazie di tutto!

***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recebemos seu comentário logo ele será publicado. Obrigada pela visita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...