domingo, 13 de março de 2016

A comida contando histórias reais em livros, na TV e no cinema.


Que a comida tem papel fundamental em nossas vidas, disso todos sabemos. Contudo, com o desenvolvimento humano ela passou a ocupar outros espaços, seja na literatura, na TV ou no cinema é possível ver a comida costurando as mais diferentes situações. Ela pode mudar a vida de pessoas através da execução de receitas e a produção de pratos que se transformam em iguarias em alguns lugares. A alimentação em suas várias etapas pode ser responsável pela melhoria social e qualidade de vida de um grupo, veja o caso dos estudantes e suas novas perspectivas na cidade de Filadélfia nos EUA. A comida pode ser instrumento para sensibilizar a sociedade quanto à problemas de saúde ou simplesmente ela pode contar uma história divertida que aconteceu de verdade, como é o caso da jovem que se inspirou em um livro de receitas para romper com a rotina e a mesmice do dia a dia, transformando sua experiência em um blog, seguido de outro livro e depois em sucesso do cinema. E você qual sua história com a comida?

Seja na literatura, na tela do cinema ou na TV podemos apreciar lindas e saborosas histórias de vida que podem nos inspirar a cozinhar, escrever e até mesmo mudar o rumo de nossas vidas, a comida pode ser o tempero que está nos faltando. A seguir algumas dessas histórias.



“Pie Lady of Pie Town" é um curta-metragem documental biográfico escrito e dirigido por Jane Rosemont (EUA, 2013). O filme conta a história de Kathy Knapp, que mudou a vida para assar tortas artesanais, como fazia sua mãe antes de adoecer e voltar para Chicago, em uma pequena cidade dos EUA. Ela se mudou para uma cidade sem semáforos, nenhum posto de gasolina e outras comodidades, um lugar minúsculo de 180 habitantes  no sudoeste de Albuquerque. O curta é sobre como sua nova vida lhe trouxe recompensas ilimitadas, é uma história de alegria, paixão e perseverança. Os personagens desta pequena cidade são o pano de fundo para sua história pessoal.


“Um restaurante no Afeganistão” série de TV francesa, do gênero comédia, em duas temporadas de 12 episódios cada, cujo título original Kaboul Kitchen (França, 2012 e 2014) foi criada por Marc Victor, Allen Mauduit e Jean-Patrick Benes para o Canal+. A série é baseada na história real do jornalista da Radio France Internationale, Marc Victor, que dirigiu um restaurante para expatriados franceses em Cabul até 2008. Marc comandou de 2004 a 2008 o “L’Atmosfhere, a balada mais infame de Cabul - um bar, restaurante com piscina no Afeganistão - que vivia lotado de jornalistas, trabalhadores humanitários, diplomatas, espiões, empreiteiros e mercenários, num país onde o consumo de bebida alcoólica é severamente punido . Em 2008, no auge dos ataques terroristas aos pontos de encontro ocidentais, Marc vendeu o bar e resolveu voltar para Paris e contar a história que deu origem a série. Os episódios mostram com humor a vida do expatriado francês Jacky que dirige o popular restaurante Kaboul Kitchen na capital afegã, enquanto ele está interessado apenas em ganhar dinheiro, sua filha Sophie, que ele não via há 20 anos e que se juntou a ele no Afeganistão, chega para fazer trabalho humanitário e ajudar as pessoas (veja a série no canal +Globosat).



“Bolo de maçã da hipoteca” uma tradução literal do original "Apple Mortgage Cake" de Michael Scott (EUA, 2014) é um filme tipo sessão da tarde produzido para exibição em canais de TV (originalmente para o canal a cabo UP, eu assisti num dos canais Max) que se baseia na história real de Angela Logan (hoje proprietária de uma confeitaria em sua cidade). O filme mostra como uma mãe que sustenta sozinha os três filhos recebe a notícia que terá poucos dias para pagar a hipoteca da casa onde vive em Teaneck, New Jersey, uma casa velha onde viveu sua avó e onde ela ouviu lindas histórias sobre a alegria de cozinhar. Ela tem dez dias para quitar a hipoteca e não perder seu único bem, para isso ela decide fazer o que sabe fazer de melhor: preparar sua receita de bolo de maçã e vender pelo menos cem dessas delícias a 40 dólares, mas para isso contará com a ajuda da vizinhança e desconhecidos também. Após um jornal local publicar uma reportagem contando sua história, Logan se torna uma celebridade da mídia e centenas de pedidos para seu “bolo de maçã” chegam de várias partes do país e até fora dos EUA. Com a ajuda de amigos, conhecidos, e também de um hotel que lhe oferece a cozinha para poder alcança sua meta e assar 100 bolos, mais as canais de TV, jornais e outros meios de comunicação que compartilham sua história, Angela prova que trabalho duro, determinação e bondade podem ajudar muito as pessoas. O filme mostra como uma boa idéia - e uma tonelada de maçãs, açúcar, farinha e manteiga - pode mudar o futuro de uma família para melhor. 


“Julia e Julie” filme de Nora Ephron (EUA, 2009) sucesso nos cinemas foi baseado no livro "Julie & Julia - 365 Dias, 524 Receita e 1 Cozinha Apertada"de Julie Powell , que resolveu fazer todas as 524 receitas livro de culinária "Mastering the Art of French Cooking" de Julia Child, publicado em 1963, em apenas um ano. Julia Child ficou famosa nos EUA e no mundo quando resolveu entrar para a renomada escola “Le Cordon Bleu” durante o período que acompanhou o marido Paul (1948), transferido a trabalho para Paris. Em busca de algo para se ocupar, ela se interessou por culinária e passou a apresentar um programa de TV sobre o assunto. Já Julie Powell inicia seu "Projeto Julie-Julia" como ela o chamava, inicialmente em formato de blog, para depois de terminado o desafio ser transformado por ela em um romance.


"Recipe - A film on dementia" de Eric Khoo (Cingapura, 2013) é um filme terno e tocante sobre uma doença silenciosa que acomete muitos idosos mundo afora. O telefilme que estreou no Canal 8 da TV de Cingapura em setembro de 2013, foi realizado sob encomenda do Conselho de Promoção de Saúde daquela Cidade Estado e traz uma abordagem realista e humana a partir das memórias e história de mãe e filha, ambas envolvidas com a culinária local (tradicional e moderna) e que servirá de elo de ligação entre as duas. Apesar de ser um filme ficcional a preocupação do governo de Cingapura  com o crescimento alarmante da demência em seu país e real e por isso o filme convidou um famoso diretor de cinema asiático para dirigir o filme. Se você ficou interessado em ver o filme, não disponível no Brasil, assista-o na íntegra com legendas em inglês clicando no link "Filmes que são uma delícia" lá no nosso blog. 



"Pressure Cooker" documentário de Mark Becker e Jennifer Grausman (EUA, 2008). Na Filadélfia estudantes do ensino médio de escolas públicas participam de uma competição cujos prêmios são bolsas para universidades, no valor de $1000 a $80,000, inclusive bolsas integrais em algumas das melhores escolas de culinária dos EUA, uma verdadeira panela de pressão. Esse documentário se passa na aula da respeitada professora Stephenson. O projeto continua, no site do Pressure Cooker é possível saber o que aconteceu com alguns alunos cinco anos depois e um pouco mais de suas histórias. O documentário é inspirado no programa de carreira e educação técnica que incentiva as crianças a se formarem no ensino médio e oferece um caminho alternativo ao ensinosecundário tradicional. A Campanha de Ação Social para o chamado “Pressure Cooker” (panela de pressão, no sentido litetral) é projetada para aumentar a consciência e o apoio a programas de carreira e educação técnica, através de iniciativas com a Associação de Carreira e Educação Técnica (ACTE); e as carreiras através do Programa de Culinary Arts (C-CAP).




O livro "Os caçadores de frutas: uma História de Natureza, Aventura, Comércio e Obsessão" (original The fruit hunters) de Adam leith Gollner deu origem ao filme com mesmo nome dirigido por Yung Chang (2012) e conta com Bill Pulman no elenco. No livro o autor relata ter se encantado com a enorme diversidade de frutas que viu e provou em uma visita ao Brasil e por isso, decidiu fazer um verdadeiro mergulho no mundo das frutas. Colaborador de revistas especializadas em alta gastronomia e do jornal The New York Times, Gollner analisa, no livro, as frutas que consumimos e explica o motivo disso, englobando razões científicas, econômicas e estéticas. O livro traz 12 reportagens divididas em quatro temas: natureza, aventura, comércio e obsessão. Retrata ainda como as frutas são criadas, produzidas e comercializadas, e chega até mesmo ao submundo das frutas inacessíveis, raras, ignoradas ou proibidas no Ocidente. Para compor o livro, o autor foi até a ilha de Bornéu, na Indonésia, para provar o fedorento durião e conheceu gente que se alimenta apenas com frutas, entre outras curiosidades e aventuras que vivenciou. Atualmente, a intervenção da ciência na composição das frutas notadamente por meio dos organismos geneticamente modificados, vem crescendo significantemente. Conscientes de seus prejuízos à saúde, algumas pessoas como o ator Bill Pullman e os aventureiros Noris Ledesma e Richard Campbell procuram fontes naturais de alimentos viajando pelo mundo.


 ***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recebemos seu comentário logo ele será publicado. Obrigada pela visita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...