terça-feira, 17 de novembro de 2015

Café, cana-de-açúcar, suflê, vinho e sementes... estão todos no cinema.



Quando falamos em café, cana-de-açúcar, um suflê, vinho e algumas sementes, logo pensamos em alguma receita ou prato, mas neste caso eles são protagonistas ou elementos importantes de algum filme e estão presentes no cinema e em nossa lista de “Filmes que são uma delícia”. Aqui no blog e em nossa fanpage são muitos os comentários sobre o cinema categorizado por food e wine films e todo dia nos deparamos com uma nova produção, algumas vezes nem tão novas, mas a grande maioria muito recente. Como já disse em outros posts a produção de documentários aumentou muito nos últimos anos, nesta semana são três os documentários, dois deles produzidos nos EUA e um na Itália. Os outros filmes foram produzidos na Colômbia, EUA e Japão e são gêneros muitos distintos entre si, um filme originário do mangá japonês, o outro um clássico do cinema hollywoodiano e um drama sul-americano. Bem, como veem são filmes para todos os gostos e cada um deles dialoga à sua maneira com a gastronomia.


Essa é para os amantes e especialistas em café... o documentário "Barista" de Rock Baijnauth (EUA, 2015), dos mesmos produtores de "Somm", foi lançado no dia 6/11 nos cinemas dos EUA (será comercializado via I-Tunes e On Demand). O filme é um mergulho profundo no mundo competitivo do café e traz os melhores baristas do mundo em uma competição acirrada na tentativa de chegar ao copo perfeito. O filme gira em torno do Campeonato Nacional de Baristas nos EUA, uma competição extrema onde os concorrentes têm 15 minutos para preparar 12 bebidas para os juízes. O diretor Baijnauth conduz o espectador através de um olhar bem humorado, emocionante e esclarecedor do mundo inimaginável das competições de café e seus personagens apaixonados que dedicam, cada um com suas peculiaridades, suas vidas ao preparo da bebida.


"La Tierra y la Sombra" ou A Terra e a Sombra, título em português, é um drama de César Augusto Acevedo (Colombia, 2015) ganhador do prêmio Câmera D'or no Festival de Cannes de 2015 e esteve presente na 39a. Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. O filme conta história de Alfonso é um velho fazendeiro que retorna à casa para cuidar do filho, que está gravemente doente. Ao chegar, redescobre o antigo lar, agora habitado por sua ex-mulher, a nora e o neto. O local parece uma terra abandonada. Grandes campos de cana de açúcar rodeiam o imóvel, a monocultura da cana-de-açúcar tomou conta de várias fazendas ao redor, criando permanentes nuvens cinzas. Dezessete anos depois de os ter desamparado, Alfonso tenta encontrar o seu lugar ali para, assim, poder salvar sua família.


Essa para quem curte os clássicos do cinema, com a vantagem de ter a bela e icônica Audrey Hepburn na famosa escola parisiense Le Cordon Bleu. Em "Sabrina" de Billy Wilder (EUA, 1954) uma comédia romântica baseada em uma peça de teatro, Sabrina, interpretada pela doce Hepburn, é a filha de um motorista que trabalha para uma rica família americana. Ela é apaixonada pelo playboy da família, David Larrabee (William Holden), o filho mais novo. Decidida, ela resolve passar dois anos na escola de culinária "Le Cordon Bleu" em Paris, procurando entre outras coisas se tornar mais sofisticada. Quando retorna aos EUA e à casa da família na qual seu pai ainda é empregado, tudo muda. Mas pra saber o que acontece tem que assistir o filme. Dica: assista a esta produção de 1954 porque o remake de 1995 não tem o mesmo charme. (Uma das passagens mais marcantes é a cena do preparo do soufflé de queijo, quando o chef passa para ver o preparo de Sabrina ele comenta que não cresceu o suficiente. Então, o Sr.ao lado colega de na classe lhe diz: “Uma mulher feliz no amor queima o seu soufflé, mas uma mulher infeliz no amor esquece de ligar o forno.”).


O filme "Senza Trucco" que em português (Brasil) recebeu o nome de "Sem maquiagem" é um documentário de Giulia Graglia (Itália, 2011) onde quatro mulheres contam os segredos do vinho perfeito e fazem revelações sobre a produção vinícola italiana. Filmado nas áreas rurais italianas, as entrevistadas falam sobre a vida em um vinhedo e os esforços que tiveram ao longo dos anos para ser boas mães e mulheres, além de empresárias de sucesso. Ela são quatro produtoras de vinho orgânico que falam sobre suas vidas e sobre seu trabalho como mães, viticultoras e empresárias, cada uma contando sua história em uma etapa diferente do processo de produção no vinhedo ou na vinícola. Diferentes entre si, as quatro mulheres dividem a mesma paixão pelo vinho e as raízes de sua terra natal. Desprovido da idealização bucólica do trabalho agrícola, o filme dá um retrato fiel das mulheres, seguindo-as em sua rotina diária, capturando seus movimentos, seus rostos e suas palavras. (Este filme esteve presente na programação do 5o. Slow Filme que aconteceu em Pirenópolis/GO em 2014).


Para quem curte a estética japonesa vai gostar do filme "The Drops of God" título original "Kami no Shizuku" de Satoru Nakajima (Japão, 2009) produzido pela TV japonesa com base no mangá dos irmãos Yuko e Shin Kibayashi "Drops of God" publicado em 2004, um mangá best seller da categoria graphic books do NY Times. O filme conta a história do personagem principal do mangá, um jovem chamado Shizuku Kanzaki, que descobre a beleza do vinho depois que seu pai, um crítico de vinhos famoso, morre e deixa uma revelação incomum: uma descrição de 12 vinhos que ele considerava ser os melhores do mundo, comparando-os aos discípulos de Jesus Cristo. A primeira pessoa a encontrar esses "discípulos" herdarão coleção de vinhos do pai, uma competição que opõe Shizuku contra o seu irmão adotivo, Issey Tomine, que trabalha como crítico de vinhos. Diversão garantida para quem gosta das produões japonesas e de vinho é claro. (O filme está disponível na íntegra no vimeo com audio em japonês e legendas em francês).



O filme documentário "Open Sesame: the history of seeds" de M. Sean Kaminsky (EUA, 2104) mostra que um dos recursos mais preciosos do mundo está em risco. Este documentário oportuno e comovente ilumina o que está em jogo e o que pode ser feito para proteger a fonte de quase todos os nossos alimentos: as sementes, pois elas fornecem a base para tudo, de tecido, de alimentos à combustíveis. Sementes são tão essenciais à vida como o ar que respiramos ou a água que bebemos ... mas damos muito menos atenção. De acordo com a FAO (Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas), cerca de 90 por cento das variedades de frutas e vegetais que existiam 100 anos atrás não existem mais hoje. Sementes que foram carinhosamente nutridas ao longo de décadas ou mesmo centenas de anos foram perdidas para sempre. Manter a biodiversidade das sementes nos permite produzir novas variedades resistentes a pragas ou que se desenvolvem em temperaturas extremas. Isto é essencial pata um clima em mudança.


***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recebemos seu comentário logo ele será publicado. Obrigada pela visita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...