segunda-feira, 12 de outubro de 2015

"Food Chains" Você sabe de onde vem o alimento que come?



A maioria de nós não tem a resposta para essa pergunta! 

A verdade é que não nos perguntamos sobre a procedência do alimento que chega à nossa mesa, raros são os casos quando sabemos quem o produz e em que condições. Talvez a feira semanal possa nos indicar algo, quando estamos acostumados a comprar frutas ou verduras em alguma banca e já conhecemos um pouco da história dos feirantes, se eles compram nos grandes centros distribuidores tipo CEASA, CEAGESP, etc., se eles fazem parte de algum cinturão verde nas redondezas da nossa cidade ou ainda se praticam a agricultura familiar com produção sazonal, orgânica ou não. 

Bem, mas porque estou falando sobre isso? É que ontem assisti ao documentário “Food Chains” de Sanjay Rawal com produção executiva de Eva Longoria (EUA, 2014) e narração de Forest Whitaker, documentário que está disponível para assistir no Now e sobre o qual comentei no blog e na fanpage Cozinha da Meg Mamede logo que ele foi lançado no EUA.

Este post é para provocar mesmo! Foi assim que me senti ontem ao assistir o filme, mexida ao pensar o quanto não sabemos sobre aqueles que trabalham duro para garantir a comida no nosso prato. Seja nos EUA, na China, na Itália ou o Brasil. Olhar para base da cadeia alimentícia é um exercício que não fazemos. 

Você sabe de onde vem o que você come? Mais que isso, você sabe em que condições atuam os trabalhadores rurais, homens e mulheres (em alguns casos até crianças) nas plantações e colheitas dos alimentos que você compra nas grandes redes de supermercados? Você sabia que em pleno século 21 existe escravidão e assédio sexual em plantações nos EUA e em outras partes do planeta, e o Brasil não fica de fora.

Está mais do que na hora de entedermos a lógica do alimento justo e fazermos nossa parte para fortalecer a base dessa cadeia, afinal, são os trabalhadores do campo os verdadeiros responsáveis pela comida no nosso prato. O que podemos fazer? Comecemos por conhecer a procedência e dizer não para o que não nos parecer "justo". 

"Food Chains" de Sanjay Rawal (EUA, 2014) é mais que um documentário, é um alerta para mundo. A narrativa do filme se concentra em um grupo intrépido e altamente reconhecido de catadores de tomate do sul da Flórida - a Coalizão de Trabalhadores de Immokalee ou CIW - que estão revolucionando o trabalho agrícola. Sua história é de esperança e promessa para o triunfo da moral sobre a ganância corporativa - para garantir uma vida digna para os trabalhadores agrícolas e, uma cadeia alimentar transparente e mais humana.

"Cadeias alimentares" (numa tradução literal) estreou no Festival de Berlim 2014 e foi exibido posteriormente no Tribeca Film Festival e no Guadalajara Film Festival. "Food Chains" foi lançado nos EUA em 21 de novembro de 2014. 

Nos Estados Unidos, os trabalhadores rurais são uma das categorias mais mal pagas e com as piores condições de trabalho. O interesse da indústria alimentícia é tão grande quanto o desinteresse em quem, de fato, produz os alimentos. A escravidão, há séculos foi abolida, mas a exploração da mão de obra segue acontecendo. Tal exploração massiva é perpetuada pelas grandes empresas e, sobretudo pelas grandes redes de supermercados.

Então, assista ao filme e faça sua própria reflexão. Aproveite a disponibilidade dele nos canais de TV paga ou internet, pois não acredito que este tipo de filme seja exibido em cinemas, o lobby das grandes redes de supermercados e da indústria alimentícia não colabora para a larga distribuição destes filmes, além do que o público ainda sai de casa em busca de diversão e não reflexão, e não os culpo.



“Food Chains” um filme indigesto e necessário que eu recomendo!


***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recebemos seu comentário logo ele será publicado. Obrigada pela visita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...