domingo, 18 de outubro de 2015

Banoffee pie, a preferida da Dama de Ferro.

(Banoffee pie_by Meg Mamede - Foto: Rogério Oliveira)

Esta semana fiz a tal banoffee pie (da junção de banana e toffee: leite condensado cozido na panela de pressão) uma sobremesa que segundo alguns, é de origem inglesa e seria a preferida da Margaret Thatcher, ex-primeira ministra do Reino Unido (de 1979 a 1990) mundialmente conhecida como a Dama de Ferro. Independente das origens e histórias, a banoffee pie é uma sobremesa gostosa e fácil de fazer (tem algumas variações para a cobertura, mas eu preferi preparar um chantilly). Não cozinhei o leite condensado na pressão por medo, como não encontrei aquela lata tradicional de leite condensado, apenas a de abertura fácil, fiquei com medo de algum acidente e optei por utilizar um doce de leite uruguaio. Para evitar que ficasse tudo muito doce usei bananas não tão maduras e coloquei uma colher (de chá) rasa de açúcar para bater o chantilly, assim consegui um sabor equilibrado.

Só vim a conhecer a banoffee pie aqui em Curitiba, em São Paulo não é comum ver essa torta nas confeitarias, acho que isso são alguns dos regionalismos que só um país continental como o nosso propícia.

A receita é facílima, não tem segredo e, se bem equilibrada pode agradar aos paladares mais exigentes. Além disso, tem uma bonita apresentação, é fácil de ser congelada (não alterando o seu sabor) e é uma opção deliciosa para ser servida em um brunch ou chá da tarde.

Ingredientes:

200 g de bolacha maizena (1 pacote)
100 g de margarina ou manteiga sem sal (eu usei margarina para ficar menos enjoativo)
1 lata de leite condensado cozido na pressão* (ou doce de leite pronto)
De 4 a 6 bananas que não estejam muito maduras (eu usei Caturra)
300 g de nata ou creme de leite fresco (na verdade pasteurizado) com no mínimo 35% de gordura (caso contrário não vai dar ponto de chantilly)
1 colher (chá) de açúcar
Canela em pó
Chocolate ou achocolatado em pó
1 forma de 22cm com fundo removível

(Passos do preparo da banoffee pie - Fotos: Meg Mamede e Rogerio Oliveira)


Modo de preparo:

Triture a bolacha em um mixer ou liquidificador e despeje em recipiente onde você possa acrescentar a margarina e ir revirando com a ponta dos dedos até ficar com a aparência de farofa, transfira essa mistura para a forma de fundo removível e cubra o fundo e parte da lateral da forma, preferencialmente de maneira homogênea, mantendo a mesma altura em toda volta da forma (não precisa subir até o final da forma caso ela seja um modelo mais alto), leve para assar por cerca de 10 minutos em fogo pré-aquecido a 180º, retire do forno e deixe esfriar. Cozinhe o leite condensado um dia antes ou pela manhã se for usá-lo à tarde para que ele esfrie bem ou use um doce de leite pronto (opte por marcas uruguaias, argentinas ou mineiras que geralmente produzem doces de leite de boa qualidade). Bata a nata (ou creme de leite fresco) com pouco açúcar, eu usei apenas uma colher (de chá) de açúcar e deixe na geladeira para quando for finalizar (não bata muito para que não vire manteiga). Com a base assada e fria acrescente o doce de leite espalhando-o com uma espátula ou com as costas de uma colher (de sopa) de maneira que fique homogêneo, corte as bananas em rodelas da mesma largura e coloque em toda a dimensão da forma, sobreponha camadas preenchendo todos os espaços (eu polvilhei algumas pitadas de canela sobre as rodelas de banana), por fim coloque o chantilly. Dica: eu comecei com uma manga de confeitar e um bico pitanga, mas perdi o chantilly que ficou grudado na manga e não pude completar a circunferência toda da torta, então usei as costas de uma colher (de sopa) para desmanchar as pitangas e espalhar o chantilly de maneira  aleatória formando um desenho rústico em toda extensão e nas bordas usei o que sobrou na manga para fazer uma lateral mais alta. Em seguida polvilhei com uma peneira pequenina um pouco de canela misturada com chocolate em pó (porque muita canela pode ficar enjoativo) para dar aquela coloração em cima do chantilly. Feito isso deixe gelar por cerca de 3 ou 4 horas e sirva para alegria dos seus amigos.



Tempo de preparo: 50 minutos (fora o tempo de cozimento e esfriamento do leite condensado + o tempo de geladeira da torta propriamente dita)

Rendimento: de 10 a 12 pedaços

Dificuldade: Fácil



*Sim! É possível cozinhar a nova lata de leite condensado com abertura fácil (independente da marca). Para isso e para fazê-lo com segurança: retire o rótulo e o excesso de cola e coloque a lata fechada em uma panela de pressão com água suficiente para cobrir toda a lata. Tampe a panela de pressão, leve ao fogo médio e deixe cozinhar pelo tempo de acordo com a consistência desejada, lembrando que para ponto de colher 15 minutos, para caramelo forte 30 minutos ou para ponto de corte e 50 minutos, sempre contados após o inicio da fervura. Importante: Espere sair toda a pressão, abra a panela, retire a lata com cuidado e espere esfriar completamente antes de abri-la. Transfira o conteúdo para um recipiente, misture para ficar homogêneo e use conforme desejado ou armazene em uma vasilha seca, com tampa e acondicione na geladeira, assim permanecerá bom para consumo por mais 07 dias. (Fonte: Receita toda hora)


***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recebemos seu comentário logo ele será publicado. Obrigada pela visita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...