domingo, 27 de setembro de 2015

Para quem tem fome de conhecimento a leitura é um alimento muito saudável.

(mais um título para minha biblioteca, mais um presente do marido...)


Passear por livrarias é um prazer que eu e meu marido dividimos, o difícil é sair delas sem comprar nada.

No início do nosso namoro nosso lugar predileto era o Conjunto Nacional na Av. Paulista e suas livrarias, ficávamos horas naquele lugar e passado quase cinco anos isso não mudou, se tem um programa que gostamos é garimpar livros, cds e vinis nesses templos, e não tem sido diferente aqui em Curitiba e em nossas viagens.

Ontem ganhei mais um livro de presente dele e comprei mais dois, não resisti. Sentada numa cadeira da livraria empilhei alguns títulos que me interessavam e comecei a ler isso e aquilo... ao final sai com "O Atlas Gastronômico: Uma volta ao mundo em 40 cozinhas" de Mina Holland, lançado este ano pela editora Casa da Palavra que traz histórias gastronômicas e receitas de todo o mundo.

'O atlas gastronômico' é um livro para cozinheiros intrépidos. Mina Holland explora o que e por que as pessoas comem ao redor do mundo, desmistificando os sabores, ingredientes, técnicas e pratos que estão no coração de diferentes culinárias. Com receitas totalmente adaptáveis, que podem satisfazer tanto cozinheiros iniciantes quanto os mais experientes, aprenda a recriar receitas das mais diversas cozinhas do mundo – de um curry de peixe com coco do sul da Índia a um ceviche peruano; de um mansaf de iogurte da Jordânia a um bolo dos sonhos dinamarquês; de uma insuperável tortilha espanhola ao definitivo jerk de frango caribenho. Misturando anedotas, história e literatura a receitas e ensinamentos de alguns dos especialistas em alimentos mais experientes do mundo – tais como Yotam Otttolenghi, Jacob Kenedy, José Pizarro e Giorgio Locatelli –, O atlas gastronômico se encaixa tão bem na cozinha quanto na sua mesa de cabeceira.

Trouxe também para minha biblioteca gastronômica o livro "Gastronomia no Brasil e no Mundo" de Dolores Freixa e Guta Chaves, 2a. edicão lançada pela Editora Senac Nacional em 2013, livro que eu adoraria ter escrito por conta da pesquisa histórica e da pegada literária pela qual as autoras enveredaram. Esse é um daqueles livros leves e gostosos de ler, afinal quando se fala de livros de história as pessoas já se sobressaltam e esperam algo chato, longe disso, a escrita fluída, o formato e a proposta editorial contribuiram para que o livro seja indispensável para estudantes, profissionais e apaixonados pela gastronomia. Ninguém duvida que a gastronomia faz parte do patrimônio de um povo, que ela é tão importante culturalmente quanto os museus, as festas, as danças e os templos religiosos. As especialistas Dolores Freixa e Guta Chaves dão sequência a anos de trabalho de pesquisa sobre a história da alimentação e, nesse livro, constroem um panorama da evolução da gastronomia no mundo e no Brasil, partindo do Mediterrâneo, berço da gastronomia ocidental. Abordam também aspectos da culinária profissional, como a formação dos grandes chefs e da nova geração, o surgimento da nova gastronomia brasileira e as tendências mundiais.


E de quebra, optei pela escolha de "O Vinho e sua circustâncias" de Sergio de Paula Santos, a 3a. edição revista e ampliada, lançada em 2001 pela editora Senac-SP, pelo simples fato de adorar a bebida dos Deuses e pouco saber sobre ela. Este livro traz  fatos sobre vinho do Porto, vinho Madeira, vinhos brasileiros, vinhos galegos, vinhos novos e antigos, champanhe. E muito também sobre circunstâncias que o vinho suscita ou suscitou - na gastronomia, por exemplo, com o vasto elenco de acompanhantes do vinho, como o bacalhau e o caviar, ou mesmo de não acompanhantes que com ele têm uma identidade de fascínio, como o chocolate.





Bem, agora é arrumar tempo para tanta leitura, experimentação de receitas e postagens aqui no blog.


***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recebemos seu comentário logo ele será publicado. Obrigada pela visita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...