terça-feira, 4 de agosto de 2015

A culinária basca no cinema.

A culinária basca é pura alquimia... se come muito bem das grandes cidades como Bilbao, Donostia ou Hondarribia aos pequenos vilarejos espalhados por toda Comunidade Autônoma Basca (norte da Espanha). De "comidas populares" os conhecidos almoços festivos em que vizinhos se juntam para comer e comemorar (uma coisa não vem sem a outra) nas ruas da cidade (como acontecia na pequena Orduña, onde vivi por dois anos) aos bares de pintxos cheios de pequenas delícias para comer com as mãos e os olhos. O turismo gastronômico e o enoturismo são experiências insequecíveis na terra de Pío Baroja, escritor de El País Basco. 

Toda essa magia tem origem nos encontros dos homens em seus txokos, um recanto de domínio masculino onde eles cozinham, bebem e cantam ,desde muito tempo, nessa sociedade matriarcal longe dos olhares e hormônios femininos, fazendo surgir o que conhecemos por confrarias e que estão espalhadas por toda Euskal Herria e outras partes da Espanha.

Mais que bom sabor a culinária basca tem um que de tradição, de amor pela terra, de amor por sua identidade, de amor por sua gente, de amor pela cultura que os define e difere dos demais. Tanto é assim que a cozinha basca deu um salto nas últimas décadas se tornando referência no mundo e dividindo "estrelas" com outras cozinhas de renome. A criação do Centro de Culinária Basca em San Sebastian (Donostia) que une tradição, tecnologia, pesquisa e inovação leva jovens do mundo todo a buscar mais na terra de Olentzero, pelota basca, txakoli e sidrerias. 

Mas... e o cinema? Bem, a culinária é tão importante que um dos festivais de cinema mais antigos da Europa incluiu em suas categorias o chamado "Culinary Zinema: Cine y Gastronomía" estou falando do Festival Internacional de Cine de San Sebastián que em 2015 está em sua 63ª edição e sempre traz em sua programação produções dos quatro cantos do mundo. A boa notícia é que  a maioria delas faz parte da nossa lista de "Filmes que são uma delícia". Hoje vamos comentar três produções bascas já exibidas em festivais brasileiros.

On egin!


“Nerua Guggenheim Bilbao, un viaje a la esencia” curta-metragem do basco Ivan Miñambres (Espanha, 2014) presente na nossa lista de “Filmes que são uma delícia” está na programação da 6ª edição do Slow Filme - Festival Internacional de Cinema e Alimentação que acontece em Pirenópolis/GO de 10 a 13/09/15. O filme é uma ideia original de Josean Alija, chef do restaurante Nerua, do Museu Guggenheim de Bilbao, que tem uma proposta que vai além da gastronomia. Com o intuito de compartilhar experiências e conhecimentos, Alija mostra sua visão pessoal sobre como compreende a cozinha e sua relação com a região. O filme inclui, ainda, a colaboração especial do músico basco Gari, que criou uma nova versão para a sua música "Zaharra Zara Bilbo", especialmente para o documentário. Em 2011, o chef Josean Alija recebeu sua primeira estrela pelo Guia Michelin e três sóis pelo Guia Repsol. Foi nomeado pela Academia Internacional de Gastronomia Chefe do Futuro 2011 (Prix du Chef de L’Avenir 2011). Em 2015, a prestigiada revista “Restaurant” incluiu o Nerua pela primeira vez na lista dos 100 melhores restaurantes do mundo. (Fonte: Slow Film Festival)


Em “Mugaritz BSO.” documentário de Felipe Ugarte e Juantxo Sardon (Espanha, 2011), o músico Felipe Ugarte e o chef Andoni Luis Aduriz embarcam em um projeto comum com o objetivo de transformar o menu gastronômico do restaurante Mugaritz situado em Errenteria, Gipuzkoa (comunidade autônoma do País Basco, no norte da Espanha) em uma experiência musical. Com as receitas do Mugaritz eles tentam reproduzir um mundo transparente e fiel do som, composições musicais traduzindo as sensações experimentadas através do palato. Durante três anos de experimentos, viagens, gravações e intermináveis horas de trabalho o documentário foi produzido. O filme que abriu a seção Culinary Zinema do Festival Internacional de Cinema de San Sebastian em 2011 é mais um filme da nossa lista de “Filmes que são uma delícia”.


“A la Bizkaina” documentário de Aritz Galarza (Espanha, 2013) traz o mistério do molho que leva o nome de Bizkaia e nos leva a analisar sua origem e ingredientes. O seu caráter internacional e o futuro da gastronomia basca condicionada pelo meio ambiente, know-how e acontecimentos históricos. A chave para o desenvolvimento adequado, a existência (ou não) de uma receita matriz, o valor sentimental associado a culinária. O filme mergulha no passado de um dos mais representativos molhos da cozinha basca, molho Bizkaia, para desenhar uma imagem da cena gastronômica daquela região através de entrevistas com especialistas e chefs renomados. Este filme esteve presente em festivais de cinema do mundo todo, entre eles: 5º Slow Film – Festival de Cinema e Alimentação e Cultura Local de Pirenóplis/GO (Brasil), Food Film Festival de Amsterdam (Holanda), Cinegourland, de Getxo (Espanha), Cine es cena, de Tenerife (Espanha), Film Food Festival Huatulco, de Oxaca (México), Zinemaldia, Film & Cook, de Barcelona (Espanha), Madrid Fusión (Espanha), Internationale Filmfestspiele Berlin Culinary Cinema (Alemanha), NYC Food Film Festival (EUA), Chicago Food Film Festival (EUA) e Reel Food Festival, de Otawa (Canadá).

***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recebemos seu comentário logo ele será publicado. Obrigada pela visita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...