segunda-feira, 9 de março de 2015

Tomate confitado.

(Tomate confitado - Foto: Rogério Oliveira)

Cada segmento tem um vocabulário próprio e com a culinária não é diferente, ainda mais em tempos onde tudo com nome mais elaborado custa mais. Na verdade o modismo "gourmet" nada mais é do que uma repaginada naquela receita tradicional para chamar a atenção do consumidor e com isso é possível cobrar mais pelo prato ou alimento. É comum a troca de nomes nos cardápios uma "afrancesada" aqui, outra ali, além de algumas substituições e alterações na receita original que contribuem para que paguemos mais, às vezes, pelo mesmo.

Não é raro ouvirmos palavras diferentes ou mais sofisticadas do que as usuais para nominar o que já conhecemos. Eu sou formada em história e achava que linguagem empolada era coisa de historiador. Que nada! A gastronomia, "bola da vez", usa e abusa de termos originários da cozinha francesa: os nomes dados aos cortes, aos utensílios, as técnicas e aos pratos. O que não é ruim, já que a base da cozinha ocidental moderna deve muito à cozinha francesa

Esse blá, blá, blá todo é só porque sempre que ouvia tomate Confit ou tomate confitado não imaginava ser algo tão simples e rápido, até fazê-lo. A técnica pode até ter outros nomes, mas foi explorada por muitos povos além dos franceses e trata-se de uma das formas encontradas para conservar os alimentos (carnes, vegetais e frutas) em tempos onde ainda não havia geladeira. 

A palavra confit vem do francês confire que, por sua vez, vem do latim conficere, isto é: fazer, preparar, produzir. Palavra usada inicialmente para designar frutas cozidas em açúcar ou mel (confiture), depois vegetais e carnes.

A verdade é que o tomate preparado assim tem um sabor delicioso e pode ser feito com os temperos que tenhamos à mão. Preparei uns tomates Cereja confitados para compor a salada Fatuch e o Cuscuz Marroquino que servi num almoço, mas eles podem ser usados em antepastos, massas, canapés, etc., afinal cozinhar é usar a criatividade.

Vamos à ceceita...

Ingredientes:

400g de tomate cereja
Azeite extravirgem
Tomilho
Alecrim
1 colher (sopa) rasa de açúcar
1 dente de alho (picado bem miúdo)
Pimenta do reino moída na hora a gosto
Sal a gosto

Modo de preparar:

Lave e seque os tomates, corte-os ao meio e disponha-os numa forma antiaderente ou refratária, salpique os demais ingredientes sobre os tomates de maneira uniforme, regue com azeite e leve ao fogo (pré-aquecido) entre 180°C e 200°C por cerca de 40 minutos.  

Dica: Vale lembrar que o tomate será reduzido, a quantidade que eu usei foi pontual para o que eu queria fazer, assim que quanto mais tomate (o tipo de sua preferência) mais quantidade ao final, isso vale também para quantidade de azeite que utilizar, pois a sobra ficará aromatizada e poderá ser utilizada em outras receitas. Quanto ao tempo no forno, isso também depende da quantidade, tamanho e consistência dos tomates usados, por isso fique atento para obter o resultado que necessita com mais ou menos tempo no forno.


Rendimento: 300g (peso final)

Tempo de preparo: 1 hora (tempo total)

Dificuldade: Fácil

***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recebemos seu comentário logo ele será publicado. Obrigada pela visita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...