domingo, 15 de março de 2015

Giro "food films" da semana.

Como nem só de comida vive o Homem, o cinema está sempre presente em nosso blog para alimentar a alma, trazer conhecimento e provocar reflexões.

Nesta semana coincidentemente todos os filmes têm a América como foco, mais especificamente os E.U.A., os filmes da semana são produções feitas nesse país ou têm alguma relação com ele no enredo.

"Fazer a América" é uma expressão muito difundida entre os imigrantes de muitas origens e três dos quatro documentários desta semana trazem a história de gente que deixou seu país para viver nos E.U.A. e venceu por lá. Entre essas nações estão: Itália, Espanha, Coréia do Norte e Irã. Do trabalho árduo ao sucesso, passando pela nostalgia das memórias à amizade no Novo Mundo, tudo é mostrado através da Sétima Arte.



15/03/15 O documentário "America's First Foodie" (The Incredible Life of James Beard) de Beth Federici (EUA, 2014) é um longa metragem que narra um século de alimentos através da vida de um homem, James Beard ou simplesmente Barba. Apelidado pelo New York Times como o "Dean of American Cookery", foi um homem à frente de seu tempo assumindo sua homossexualidade em uma época em que era perigoso fazê-lo. Devotado ao sabor e aos amigos, Barba falou da importância do localismo e sustentabilidade muito antes desses termos entrarem no vernáculo. Em um momento de "todas as coisas em francês," Barba apreciava o que a América tinha para trazer para à mesa. Autor de um livro de receitas, jornalista, celebridade da televisão e professor, James Beard ajudou a pioneira indústria alimentícia a expandir seus meios alimentares no negócio de bilhões de dólares que é hoje. (categoria: abacaxi)
15/03/15 - "3055 Jean Leon" documentário de Agustí Vila (Espanha, 2006) conta a história de Ceferino Carrión que se tornaria a lenda Jean Leon, que seduziu Hollywood. Jean Leon criou em Beverly Hills o restaurante das "celebridades". Ceferino Carrión nasceu em Santander em 1928, aos dezenove anos fugiu para a França e, de lá, navegou como clandestino no porão de um transatlântico com destino aos Estados Unidos. Uma vez em Los Angeles trabalhou como garçom no Villa Capri, o restaurante de Frank Sinatra, e iniciou uma grande amizade com James Dean, Natalie Wood e muitos estudantes de teatro. Em 1955, ele abriu seu próprio restaurante, o La Scala, que se tornaria o restaurante da moda em Hollywood. Jean Leon serviu o jantar para Marilyn Monroe na noite de sua morte trágica, hospedou cinco presidentes dos Estados Unidos, alimentou os grandes barões da droga. Foi testemunha de grandes acordos que resultaram em filmes lendários ... Em 1962 triunfante retornou à Espanha e introduziu uvas francesas, em Penedes, onde produziu o primeiro Cabernet Sauvignon. Depois partiu a bordo de seu iate "La Scala a Mare" para prosseguir com sua nova ambição: reproduzir o restaurante La Scala, em Phuket, na Tailândia. Um último sonho que nunca iria conseguir realizar pois um câncer de laringe obrigou-o a abandonar a sua jornada. Ele morreu em Los Angeles em 1996, acompanhado por seus filhos e longe de seus muitos amigos que não puderam lhe dizer adeus. (categoria: abacaxi)
13/03/15 - "Breaking Bread" documentário de Hamid Rahmanian (EUA, 2000) conta uma passagem na vida de uma família coreano-americana que convida um amigo iraniano para fazer uma última refeição para o pai, à beira da morte. Esta viagem poética explora a interação de diferentes culturas por meio da celebração de um homem comum e através de uma relação íntima entre os alimentos e a morte. Este filme traz um olhar comovente sobre realidades que todos nós enfrentamos. (categoria: abacaxi)

13/03/15 - "Le Cirque: A table in heaven" documentário de Andrew Rossi (EUA, 2007) traz a história de Sirio Maccini (natural de Montecatini, Itália),  restaurant man famoso de Nova York que no final de 2005 fechou Le Cirque, destino de celebridades. Em 2006 ele e seus três filhos abrem um novo Le Cirque, gastando quatro meses e US $ 4 milhões a mais do que o planejado. O filme acompanha esse processo, da abertura do novo restaurante passando pelo impacto emocional de duas avaliações do jornal The New York Times ao longo dos meses. Maccioni, com seus 70 anos parece cansado, acorrentado ao seu trabalho por amor de seus filhos, em seguida, e uma vez aberto o restaurante retoma seu incansável charme. (categoria: abacaxi)

***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recebemos seu comentário logo ele será publicado. Obrigada pela visita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...